Notícias

Jimenez e Rodrigo Baptista vencem os 500 km da Porsche GT3 Cup; Nonô e Basso triunfam na classe Challenge

  • 26.11.2016
  • Categoria: Outras
  • Fonte: Luis Ferrari - Porsche GT3 Cup Challenge

A jornada final do Campeonato Sul-Americano da Porsche GT3 Cup Challenge coroou quatro novos campeões com a prova de 500 km em Interlagos.

A vitória no geral ficou com a dupla do carro #3, Rodrigo Baptista e Sergio Jimenez. Eles terminaram o campeonato de endurance a um ponto de Alan Hellmeister, segundo colocado na corrida em dupla com Nelsinho Piquet.

Com o quinto lugar na prova em parceria com o americano Justin Allgaier, o gaúcho Miguel Paludo levantou o primeiro título “overall” da Cup –em pontuação que considera também os resultados de sprint. Paludo conquistou o direito de correr a preliminar das 24 Horas de Le Mans em 2017, uma prova na qual largam mais de 40 Porsches e pilotos do mundo todo.

Na Challenge a vitória na prova coube à dupla Marcio Basso e Nonô Figueiredo. Com o segundo lugar do trio Marco Cozzi, Enzo Bortoleto e Eloi Khouri, o campeão da Challenge Sport nas provas de sprint ficou também com o título “overall” e ganhou o direito de participar de uma etapa da Cup em 2017.

A coroa de endurance da classe Challenge ficou com a dupla Rodrigo Mello e Tom Filho, que se recuperaram de um pit-stop inesperado na primeira volta para terminar em quarto na categoria.

A corrida

Serra passa por fora na curva do Sol. Hellmeister é pressionado por Marcelo Franco. No fim da primeira volta os cinco primeiros eram: Serra, Hellmeister, Franco, Jimenez e Zonta.

Nono passa Renan Guerra e assume a ponta na Challenge, Vario supera Eloi na subida da reta, para estabelecer a seguinte ordem do top5 na primeira passagem: Nonô, Guerra, Vario, Burti e Marcio Mauro.

Com 15 minutos de prova e 9 voltas percorridas, Serra tinha 2s de margem sobre Hellmeister, que vinha com mais 4s sobre Jimenez. Zonta e Ricardo Maurício completavam o top5. Em oitavo, Paludo era o piloto com maior ganho de posições, após largar em 12o com o carro #7.

Na Challenge o top5 seguia inalterado, mas a má notícia era a parada no box para o carro #19,  que perdeu quatro voltas, minando as esperanças de Rodrigo Mello levantar o título “overall”.

Na volta seguinte contato entre Acides Amaral e Sergio Maggi, obrigou o #17 a recolher com pneu furado, mas não foi necessária a intervenção do safety-car.

Ricardo Mauricio e Marcelo Hahn iniciaram a primeira ronda de pit-stops com menos de 30 minutos de prova. A garoa apertava àquela altura, e alguns carros já acionavam suas luzes e limpadores de para-brisa.

No fim da vigésima volta os ponteiros entraram nos pits. Jimenez arriscou ficar mais uma volta. Marcel Visconde, com problemas no rádio, ficou mais duas e excedeu os 38 minutos regulamentares para o stint do carro #13.

A estratégia funcionou para o carro #3. Rodrigo Baptista retornou à pista à frente de Nelsinho Piquet com o #5, que ficou encaixotado atrás de carros da Challenge. Zonta também se aproveitou e veio grudado no carro da FS Hero. Na abertura da volta 25, passou Piquet e partiu no encalço de Rodrigo Baptista.

Com 50 minutos de prova e 26 voltas completadas, a diferença entre os três primeiros –Rodrigo Baptista, Zonta e Piquet– era inferior a meio segundo. Ricardo Mauricio e Allam Khodair completavam o top5.

Na Challenge os carros vinham mais espaçados entre si. Nonô liderava com 0s8 sobre Christian Hahn. Mais atrás vinha Matheus Iorio, depois Khouri e Burti.

Com uma hora de prova, Felipe Fraga era o mais rápido da pista. O líder do campeonato da Stock Car tinha passado Justin Allgaier e vinha em sexto, tirando a diferença para o top5.

Na volta 38 a briga seguia dura entre Fraga e Allgaier. Melhor para Daniel Serra, que se aproveitou da disputa entre eles e passou para quinto lugar –favorecido também pela entrada de Ricardinho Mauricio nos pits com o carro #34.

Na volta 42 Nelsinho entrou nos pits. Assinou a súmula e reassumiu o carro #5. Os demais carros da Cup vinham junto para a segunda parada, exceto os dois líderes, Rodrigo Baptista e Zonta, que permaneciam na pista favorecidos por um primeiro stint mais longo.

Na Challenge, Nonô trouxe o #2 em nono no geral e liderando na categoria. Iorio era o vice-líder com o #55, à frente de Giaffone, Khouri e Turres.

Restabelecida a ordem na pista, Rodrigo Baptista voltou a liderar. Prejudicado por um pit 45s mais lento que o tempo limite, Lico Kaesemodel perdeu posições para Piquet, Khodair, Paludo, Valério, Billi, Valle e Cacá Bueno, despencando de segundo para décimo lugar.

Na marca da 50a volta, a garoa fina virou chuva leve, obrigando alguns carros a frequentar a área de escape, principalmente na curva do Sol. Rodrigo Baptista vinha firme em primeiro com a vantagem sobre Nelsinho oscilando na casa de 15s. Khodair era terceiro, e a disputa pelo quarto lugar continuava intensa entre os carros #7 e #4, agora respectivamente com Paludo e Valerio. O duelo favoreceu a chegada de Valdeno Brito com o carro #77. Já Kaesemodel se esforçava para recuperar o tempo perdido no pit e vinha em sétimo.

Na Challenge Cozzi e Vario passaram Marcio Basso. Dirani era quarto, com Burti em quinto.

Pela metade da prova os carros mais rápidos da pista eram os de Valdeno Brito e Cacá Bueno. Primeiro o pentacampeão da Stock Car deixou Kaesemodel para trás preparando a ultrapassagem no trecho mais lento do circuito. Então o paraibano pressionou Betinho Valério até o carro #4 atravessar uma freada e avançou para quinto lugar.

Na Challenge, o destaque naquele momento era Vario, que passou Cozzi e abriu 10s até o fim do stint.

Khodair inaugurou a terceira janela de pits na volta 61. Valdeno veio a seguir. Nelsinho entrou na volta 64 e Rodrigo Baptista seguiu na pista com ritmo forte, assim como Cacá Bueno.

Na volta 68, Daniel Schneider colocou a roda na faixa branca molhada e rodou na curva do Sol imediatamente à frente do carro #18, de Alan Turres, que teve muita perícia para evitar uma batida em T. Os dois seguiram sem contato entre os carros.

Jimenez segurava a liderança com o carro #3, mas Hellmeister abreviou a diferença para 12s na volta 69. Hahn era terceiro, Paludo quarto e Marcelo Franco quinto.

Na Challenge o top 5 mostrava após o terceiro pit: Iorio, Nonô, Khouri, Toni e Alcaraz.

Na volta 73, o campeão da F3 Brasil estacionou o carro #55 no miolo, abandonando. Nonô herdou a liderança da Challenge. Mas a dupla Iorio-Vario foi autorizada a retornar à corrida com o carro reserva nas mãos do ítalo-panamenho.

Na 77a passagem, Hellmeister trouxe a diferença para 9s. Mas, com uma tocada segura, Jimenez aparentava controlar a prova.

Com o cair da noite –e da temperatura–, a quarta parada de box seguiu o script das três primeiras: Hellmeister entrou nos pits em segundo lugar, uma volta antes do líder Jimenez.

Nelsinho voltou para a pista na volta 87, a 30 do final. Nesta passagem, Felipe Fraga fez bela ultrapassagem sobre Kaesemodel para ser quinto.

Na volta 90 a vantagem de Jimenez sobre Piquet era inferior a 8s. Khodair vinha em terceiro, seguido por Allgaier e Kaesemodel Na Challenge os cinco primeiros eram Basso, Bortoleto, Dirani, Guerra e Burti.

Na marca de 3 horas Nelsinho vinha a 5s6 de Jimenez. Mas um entrevero com um retardatário no bico de pato fez o carro #5 perder 7s na volta 94. O contato com o carro mais lento aparentemente não prejudicou a máquina da FS Hero, que tirou mais 3s de Jimenez no giro seguinte e outros 2s a seguir.

Na centésima volta os dois primeiros vinham separados por 6s170. Allgaier era o terceiro, Sylvio de Barros o quarto e Ricardo Rosset completava o top5. Na Challenge os cinco primeiros eram Bortoleto, Giaffone, Mauro, Basso e Dirani.

Na abertura da volta 105, Piquet chegou em Jimenez, que levou a máquina #3 para a última parada nos pits. Na passagem seguinte foi a vez do #5 entrar para o reabastecimento regulamentar.

Depois da última parada dos ponteiros, JP Mauro aparecia em primeiro, mas ainda obrigado a cumprir o último pit. Jimenez era segundo, Hellmeister o terceiro. Depois vinham Khodair, Zonta e Paludo. Na Challenge, a ordem mostrava Nonô, Cozzi, Dirani, Pedro Nunes e Rouman Ziemkiewicz.

No stint final Jimenez continuou controlando Hellmeister até o final, para vencer. Khodair terminou em terceiro, Zonta em quarto e Paludo em quinto.

Na Challenge deu Nonô Figueiredo, seguido por Cozzi, Dirani, Tom Filho e Ziemkiewicz.

Declarações dos pilotos

Fico muito contente pela vitória. Andei o ano todo com o Jimenez em provas longas na Europa e acho que isso pesou hoje também em nosso favor. Estou muito feliz com a vitória de hoje

Rodrigo Baptista

 

A corrida foi muito boa e nossa estratégia estava funcionando. Acho que daria para buscar o Jimenez no final se não tivesse sido tocado pelo retardatário. Mas o objetivo aqui era trazer o título para o Alan e a FS Hero e cumprimos a missão, então fico satisfeito

Nelson Piquet Jr

 

É um prazer competir em dupla com o Nonô. Foi um dia bem divertido, peguei a pista complicada de pneu slick na chuva. Foi muito legal mesmo

Marcio Basso

 

Estou vivendo um sonho aqui. Dois títulos no meu ano de estreia. Fiz grandes amigos aqui e quero compartilhar essa alegria com tanta gente boa que eu conheci nesta categoria em 2016

Eloi Khouri

 

Logo que paramos na primeira volta tentei manter a concentração e ir até o final para ver o resultado na bandeirada. Deu certo e estou muito feliz. No ano passado disputei o campeonato da Challenge Sport com meu grande amigo Tom Filho até a última etapa e os dois saíram sem a taça. Hoje tinha que ser assim: este é o fim da história correta, com a gente campeão em dupla

Rodrigo Mello

 

Estou muito feliz com o título. Correr em Le Mans é o sonho de qualquer piloto e fico muito satisfeito pela conquista. Quero agradecer ao Justin Allgaier pelo companheirismo nas provas de endurance e à Brandt pelo apoio que me deu ao longo do ano

Miguel Paludo

Resultado final

  1. #3 Rodrigo Baptista e Sergio Jimenez
  2. #5 Alan Hellmeister e Nelsinho Piquet
  3. #16 Marcelo Hahn e Allam Khodair
  4. #63 Lico Kaesemodel e Ricardo Zonta
  5. #7 Miguel Paludo e Justin Allgaier
  6. #77 Ricardo Baptista, Daniel Schneider e Valdeno Brito
  7. #0 Cacá Bueno, Claudio Dahruj e Marcelo Franco
  8. #4 Beto Valério e Felipe Fraga
  9. #99 Tom Valle e Daniel Serra
  10. #54 Werner Neugebauer e Ricardo Rosset
  11. #88 Edu Azevedo, Antonio Pizzonia e Sylvio de Barros
  12. #34 Maurizio Billi e Ricardo Mauricio
  13. #8 Darío Giustozzi, Esteban Gini e Gaston Mazzacane
  14. #2 CHA Marcio Basso e Nonô Figueiredo
  15. #23 CHA Eloi Khouri, Marco Cozzi e Enzo Bortoleto
  16. #53 CHA Rodolfo Toni e Dennis Dirani
  17. #19 CHA Rodrigo Mello, Tom Filho e Pedro Nunes
  18. #27 CHA Rouman Ziemkiewicz e Luis Fernando Elias
  19. #38 CHA Roberto Samed e Marcio Mauro
  20. #18 CHA Alan Turres e Carlos Ambrósio
  21. #69 CHA Sergio Maggi, Mau Zanella e Franco Giaffone
  22. #11 CHA Luca Seripieri e Betinho Gresse
  23. #50 CHA Ramon Alcaraz e Luciano Burti
  24. #12 CHA Christian Hahn e Renan Guerra
  25. #55 CHA Marcus Vario e Matheus Iorio
  26. #17 CHA Alcides Amaral, Rodrigo Hanashiro e Marcelo Parodi
  • Tags:
  • Compartilhamento:

Categorias

Visualizar notícias por: